HISTÓRIA

O Restaurante Chaxoila é património. É património da cidade de Vila Real. É património gastronómico do Douro e Trás-os-Montes.

No longínquo ano de 1945, o acaso da vida trouxe Fernanda Brito e o seu marido a Vila Real.

A vida era difícil nessa altura. Vila Real vivia isolada do resto do país, as montanhas eram uma espécie de muralha que mantinha tudo e todos afastados da cidade, as gentes eram pobres…

Em 1947, dois anos após se estabelecer em Vila Real, Fernanda abriu uma pequena taberna nos arredores da cidade. Chamou-lhe Chaxoila, a alcunha pela qual era conhecido o marido.

Localizado perto do quartel do exército, o Chaxoila rapidamente conquistou clientes. Os “eléctricos”, como na altura chamavam às carroças, vinham das aldeias vizinhas e passaram a ter aqui paragem obrigatória!

Em 1952, deu-se o primeiro alargamento do negócio : à taberna foi adicionada uma mercearia. O negócio crescia, assim como o bom nome da casa, que começou a ficar famosa até pelo “bom pão” que servia.

As mãos habilidosas de Fernanda Brito foram ganhando cada vez mais reputação. De forma natural, começou a servir refeições aos passantes.

ONDE NASCERAM AS TRIPAS AOS MOLHOS

“Ó Fernanda, você que tem um tasco, quer levar as tripas e experimentar cozinhá-las?”

A sugestão foi dada por uma cunhada, dona de um talho. Fernanda aceitou a oferta e experimentou enrolar o bucho e o intestino da vaca, partes que até então não tinham qualquer utilização, com presunto e salsa. Um acaso feliz. Assim nasceram as famosas Tripas aos Molhos, o prato mais característico do Chaxoila e cuja receita começou a ser replicada por outros restaurantes, tornando-se em pouco tempo uma das maiores especialidades da capital transmontana.

A tripa era muito bem lavada, com água a ferver e passada muitas vezes por água e limão para apagar qualquer sabor desagradável. Fazia o mesmo com o bucho (estômago) da vaca. Depois cortava o bucho aos quadradinhos e acrescentava a cada quadrado um pedaço de presunto com a grossura de um dedo e um pezinho de salsa. Enrolava tudo com a tripa fina finalizando com um laço…”, conta a Fernanda.

Quanto ao resto… Bom, o resto é segredo!… Que facilmente poderá ser desvendado numa visita ao Chaxoila…

Agora, com instalações renovadas, a Casa de Pasto Chaxoila transporta-o numa viagem de 63 anos entre a tradição e a modernidade. Visite-nos e desvende os segredos da cozinha regional transmontana!